Notícias

Uma jornada rumo ao conhecimento

Em comemoração ao dia do Administrador (09/09) e do Contador (22/09), as Faculdades Integradas São Judas Tadeu proporcionaram aos cursos de Administração e Ciências Contábeis um dia diferente: os alunos foram para a Serra Gaúcha na última sexta-feira, 01 de setembro. A viagem foi coordenada pelo professor Pedro Paulo de Sá Peixoto e os docentes Edelvira Moreira e Ernesto Zanata participaram como convidados. Com visita a duas empresas da região, a atividade possibilitou aos acadêmicos uma imersão de estudos.

Chegando em Carlos Barbosa, o grupo foi à Tramontina Cutelaria, fundada em 1911 e que produz talheres, panelas e utensílios de cozinha em geral. O primeiro contato dos alunos com as questões técnicas do local foi diretamente com a Estação de Tratamento de Efluentes. Lá, o Operador da estação, André Ricardo Radavelli, explicou como a empresa tem investido cada vez mais em políticas de gestão ambiental. Desde 1990, a fábrica conta com a sua própria estação, onde toda a água utilizada e os resíduos gerados na produção são tratados. Com isso, parte da água é reutilizada e a outra, devolvida ao meio ambiente de forma que não polua o ecossistema.

Após o tratamento adequado na estação, esses materiais não recicláveis são enviados e armazenados no Aterro Classe II, também propriedade da empresa. “Aqui, nós realizamos a separação de resíduos e queremos que vocês levem essa conscientização para a vida de vocês”, afirma Joice Mutzenberg, Técnica em Meio Ambiente da Tramontina. Para a aluna de Administração, Stephanie Schmidt, a visitação permitiu uma experiência única. “A viagem me deu uma visão sobre temas ambientais, para pensarmos também com o depois da produção. Acredito que a questão dos aterros foi bem importante, pois não temos a real noção de quanto lixo é produzido e ter de encontrar um local imenso como esse para destinar os resíduos nos impacta”, afirma.

Após o percurso, o grupo de estudos da São Judas Tadeu teve um almoço no estilo da serra: bem italiano no Parque da Fenachamp. À tarde, o destino seguiu na direção da Vinícola Aurora em Bento Gonçalves, onde os alunos realizaram um tour pelo processo de fabricação de vinhos e espumantes. Em 1931, a vinícola transformou-se em uma cooperativa e, atualmente, conta com a participação de 1.100 famílias que são orientadas por Engenheiros Agrônomos e Técnicos que acompanham a safra de perto. Com isso, os números chegam a 55 milhões de quilos de uva por ano. Durante a visita, os acadêmicos questionaram sobre a taxa de tributação no mercado nacional de bebidas, as exportações e a concorrência entre o produto brasileiro e os importados.

Segundo o Professor Pedro Paulo, conhecer empresas distintas como as escolhidas para a viagem permite que o aluno tenha uma percepção ampla da logística reversa, das vendas e de como as organizações atuam no dia-a-dia. “Eles vivem, na realidade, a experiência na prática, vinculando esses conhecimentos ao contexto acadêmico. O propósito das visitas técnicas é aperfeiçoar o exercício profissional dos estudantes que se preparam para ingressar no mercado de trabalho. Além disso, mostra a força da Instituição e aproxima muito os professores dos alunos através dessa interação que temos”, declara. As Faculdades Integradas São Judas Tadeu, com o projeto Passaporte para o Mercado, oportuniza as viagens aos acadêmicos. É o conhecimento das salas de aula na prática, diretamente com os profissionais da área.

Voltar