Notícias

Voluntários do Turno Integral entregam doação na região das ilhas

Um grupo formado alunos do Turno Integral (4º e 5º anos) do Colégio São Judas Tadeu esteve na região das ilhas, em Porto Alegre, na manhã desta quarta-feira, 14 de junho. Os tribeirinhos da Unidade Parceiros Voluntários São Judas Tadeu, como são chamados os voluntários, realizaram a entrega de mais de 1,6 mil itens entre peças de roupa, sapatos e alimentos não-perecíveis. A ação, que beneficiou a Colônia de Pescadores da Ilha da Pintada, integra o projeto de Voluntariado Educativo que a Escola faz junto aos seus alunos. Conforme Zuleica, a atividade foi organizada pelas crianças. “Elas se envolveram, assim como, seus familiares e amigos e o resultado foi muito positivo”, destaca. A Instituição Educacional São Judas Tadeu segue recebendo doações.
“As primeiras doações que recebemos nas semanas que a cheia estava mais intensa foram todas repassadas para a Defesa Civil. Como nós trabalhamos com os pescadores o ano todo, o recebimento é permanente”, comenta Edimilson de Oliveira, diretor financeiro da Colônia de Pescadores da Ilha da Pintada, entidade que atende cerca de 1,2 mil pessoas entre os pescadores e suas famílias. “Neste momento, o que mais precisamos são produtos de higiene, alimentos não-perecíveis e, principalmente, roupas de crianças”, conclui.

Confira os depoimentos de alunos que participaram da entrega das doações:

“Eu me senti triste. Como a turma é uma equipe de voluntariado que ajuda as pessoas que necessitam. O trabalho foi muito bom. Gostei de ir, gostei de doar, de contribuir, gostei da contribuição dos meus colegas e ainda mais que todos estão sendo representados pelo grupo de voluntariado que sai do Colégio São Judas Tadeu para as ruas ajudar quem necessita”.
Vitor Germano, 10 anos,4° ano

“Senti muita triteza ao ver as casas todas devastadas pela água e gostei de arrecadar. Os meus amigos também contribuíram. Meu plano é ajudar mais”.
Luigi Dall’agnol Roxo, 9 anos, 4º ano

“Senti tristeza vendo as casas cheias de água, mas também senti alegria que a gente pode ajudar as pessoas que estavam precisando mais do que a gente. Isso dá muito orgulho da nossa turma”.
Leonardo Silveira Carvalho, 9 anos, 4º ano

“Fiquei bem triste por ver que a maior parte da cidade foi devastada pela água. Poucas casas conseguiram resistir. Ao mesmo tempo fiquei feliz por poder fazer a diferença na vida dessas pessoas doando coisas que elas precisavam mais do que eu”.
João Vitor Machado Badin, 10 anos, 5º ano

“Foi legal, mas ao mesmo tempo triste de ver as casas com água. Agora quero arrecadar mais roupas e falar para toda minha família ajudar”.
Lais da Rosa Lemos, 9 anos, 4° ano

“Um simples ato faz toda a diferença e a gente está fazendo isso. O que precisamos é mobilizar as famílias e ajudar as pessoas”.
Giovana Gonçalves Maduell, 10 anos, 4º ano

Voltar