Notícias

26/05/2017 | 16h30min

José Pacheco palestra no Educar Transforma

Professores, educadores, estudantes, diretores de escola, gestores da área da educação lotaram o auditório Elisa Verinha Romak Alves da Instituição Educacional São Judas Tadeu na tarde desta terça-feira, 23 de maio, para o evento Educar Transforma edição Porto Alegre. Entre as atividades ocorreu uma mesa redonda que contou com a participação de Jaqueline Moll, da Faculdade de Educação (FACED) da UFRGS, de Ademir Milo Motta da Silva, coordenador do projeto Educar Transforma Brasil, e do renomado professor português José Pacheco, fundador e criador da Escola da Ponte, de Portugal.
A abertura foi feita pela diretora de ensino do Colégio São Judas Tadeu, Graziela Loureiro. Ela agradeceu a organização do evento por ter escolhido a Instituição para sediar o encontro. “Estamos felizes em receber o evento até porque acreditamos que a escola é um local onde o aluno busca felicidade e ressignificação, ponto que será debatido durante toda a tarde”.
Pacheco afirmou que “é aqui no Brasil que será concebida a nova educação no mundo”. Ele se referiu a diversos nomes de pensadores que se debruçaram e se dedicam sobre o tema educação como Darcy Ribeiro, por exemplo. “Antes os professores era solitários, agora são solidários”, afirmou. Segundo ele, que atua de forma conjunta com o Ministério da educação para iniciativas de Inovação e Criatividade na Educação Básica brasileira, o direito a educação é lei e é fato que a forma como é trabalhada não é suficiente. “Não adianta ser competente, precisamos ser éticos”, destacou ele se referindo a como os alunos estão sendo formados.
O evento tem como objetivo fortalecer as diversas experiências inovadoras da educação, com o sentido de consolidá-las, num futuro próximo, em políticas públicas de educação na nossa sociedade. O tema desta edição foi “Contextualizando a ressignificação da educação no Brasil”. A programação contou com oficinas sobre sustentabilidade e educação, jogos lógicos de tabuleiro, educação biocêntrica, cultura pela paz, vivências rítmicas, educação sistêmica e prática bilíngue.

Voltar